PALOMA2.jpg

Trova

 Menções Honrosas 

 

Andar pela praia à noite

traz você no pensamento,

o coração como açoite,

 faz pulsar o sentimento.

 

Carlisa Schmidt 

carlissacambiar.jpg

 Carlisa 

Nasci Carlisa Jucela Macedo Schmidt em 15 de agosto de 1971, em Ijuí, Rio Grande do Sul Brasil. Aos 13 anos brotou dentro de mim a poesia. Cada momento que meu ser tivesse que ultrapassar obstáculos foi da poesia que tirei forças. Foi então que percebi que a poesia faz parte da minha vida. E nelas contem as histórias, momentos e sentimentos que vivi. Hoje vivo em Brusque onde novas oportunidades surgiram para mostrar minhas obras.

NASCY.jpg

carlissa.jpg

 

Desencontros

As horas passam.
Os dias passam.
As noites passam.
Só o meu coração
Continua no mesmo compasso.

***

Penso em teu abraço.
Um beijo quente.
Mas a timidez é um atraso,
Que corrói
O coração da gente.

Eu não sei o que faço.
Pra saber o que você sente.
Por isso escrevi esses versos.
Pra te conquistar lentamente.

Vejo esperança
Em teu olhar ardente.
Finge que não sente.
O coração bater fortemente.

O sentimento se manifesta
Em seu semblante transparente.
A saudade se faz presente.
Nos dias que não nos vemos.

A cada reencontro de olhares
A esperança se restabelece.
E o coração bate descompassadamente.

 

SOLOHAY.jpg



Alma Fardada



Idealizando honra a pátria,
o soldado com bela farda,
sai do aconchego da família.
Beija sua mãe e seu pai,
abraça os irmãos.
Seu orgulho é ferido
diante do horror da guerra.
Matança desenfreada.
Pessoas que nunca viu.
Sua mente contesta
a insana ousadia
que dilacera sua alma.
Obrigação cruel
vendo inocente morto

por sua arma atroz.
O desespero o consome.
Não era esse o ideal.
Não há honra no sangue inocente derramado.
Nem na bela cidade devastada.
Sua alma sangra
o funesto fel da ignorância.
Corrói seu coração
o momento de lucidez
com a imagem de sua família.
A aflição lhe assombra.
Sentindo-se monstro insano e sanguinário.
Fugirá de repreensão dos olhares.
O julgamento do amor e compaixão
é um mártir insuportável.
Suas lágrimas de dor
rastejando entre os corpos abatidos.
Condena-se ao inferno
ao se deparar com o sangue,
de um corpo meigo e pequeno,
que nem pensamento tinha
de toda a angustia que sentia.
E no seu último suspiro,
um grito mais que profundo que a alma,
dilacerando suas entranhas,
o soldado com aquele frágil
corpo em seus braços,
grita para o mundo:
CHEGA DE GUERRA!


E sua tradução


Alma fardada

Idealiza honor a la patria,
el soldado en uniforme hermoso,
deja la comodidad de la familia.
besa a su madre y a su padre,
abraza a los hermanos.
Su orgullo está herido,
siente el horror de la guerra.
matanza rampante.
que nadie nunca ha visto.
su mente se angustia
la audacia demente
perfora su alma.
Cruel obligación
matar inocentes
la de su arma atroz.
La desesperación lo consume.
ese no era su ideal.
No hay honor en derramar sangre inocente
no en desbastar la hermosa ciudad
su alma sangra
la hiel funesta de la ignorancia.
Corroe su corazón
el momento de lucidez
ante la imagen de su familia.
La a aflicción lo persigue
sintiéndose monstruo loco
sediento de sangre.
Huirán en reproche las miradas.
el amor y la compasión
es un martirio insoportable
sus lágrimas de dolor
arrastrándose entre los cuerpos sacrificados...
Se siente condenado al infierno
cuando se enfrenta con la sangre,
de un cuerpo pequeño, delicado
que ni siquiera había sentido
toda la angustia que vivía.
Y en el último suspiro,
el grito profundo en el alma,
laceró sus entrañas...
El soldado con el cuerpo
en sus brazos,
gritó para el mundo:
¡NO MÁS GUERRA!

 

 

 

 

 

IGUAzu.jpg

Cataratas Foz do Iguaçu
 
Toda vez que vejo sua imagem,
tenho um desejo imenso,
de conhecê-la pessoalmente.
E realizar todo um sentimento.
 
Suas quedas são cabelos de uma deusa.
Lançados entre a natureza.
Volumosos em sua beleza.
Mostrando seu poder de alteza.
 
O carinho da suave chuva,
penetra na pele nua,
pelo corpo flutua,
transbordando a emoção mais pura.
 
O som traz emoção.
Acelera o coração.
Avisa sua dominação.
Ninguém escapa dessa paixão.
 
Meu sentimento é profundo.
Ai quem me dera vê-la.
Pois mesmo me perdendo no mundo,
meu coração jamais vai esquecê-la.

Carlisa


TODO TITULO SUBRAYADO ES VÍNCULO A LA PÁGINA CORRESPONDIENTE

Los Derechos de Autor de todos y cada uno de los escritores  publicados en este portal están protegidos por estatutos y registros editoriales internacionales. ©®

carlisa.jpg.jpg

Mensagem para Ano Novo 2018
A transparência, o coração puro, o amor universal é ser cristalino é ser essência Divina.
Deixar a luz aflorar pelos poros é a evoçução espiritual que temos que buscar.
Realmente é hora de transformação de sair do casulo e lançar vôo suave e belo de borboleta.
Que tenhamos sensibilidade para resplandecer novo ano com toda essência do amor em nossos corações.

 
Mensaje para el Año Nuevo 2018
La transparencia, el corazón puro, el amor universal es ser cristalino es ser esencia divina.
Dejar la luz aflorar por los poros es la devoción espiritual que tenemos que buscar.
Realmente es hora de transformación ,de salir del capullo y lanzar un vuelo suave y hermoso de mariposa.
Que tengamos sensibilidad para resplandecer en nuevo año con toda esencia del amor en nuestros cora
zones.

Carlisa Schmidt

Luz no Horizonte
O espirito natalino
invadindo os corações,
tocadas pelo amor de Deus,
conduzidas pelos caminhos do bem,
amenizando o coração endurecido no mal.
A magia do amor se encontre
em cada olhar de criança
em cada sorrizo a esperança.
Na alvorada do novo ano
a luz Divina ilumine
a esperança da prosperidade,
cada abraço o consolo do irmão,
cada aperto de mão a força da união.
O amor resplandeça
unindo corações distantes,
confraternizando países.,
acolhendo irmão necessitados,
formando uma familia universal,
envolvidas pelo amor Divino
comandado pelo nossso irmão maior
Jesus.
Feliz Natal e Próspero Ano Novo
Carlisa Schmidt
10/12/2017

 

____________________
Luz en el horizonte

El espiritu navideño
invade  los corazones,
tocados por el amor de Dios,
se llevan a cabo  los caminos del bien,
hace ameno el corazón endurecido en el mal.
La magia del amor se encuentra
en cada mirada de niño
en cada sonrisa la esperanza.
En el alborada del nuevo año
la luz divina ilumina
la esperanza de la prosperidad,
cada abrazo el consuelo del hermano,
cada apretón de mano la fuerza de la unión.
Que el  amor resplandezca
uniendo corazones distantes,
confraternizando países,
acogiendo a hermanos necesitados,
que se forme una familia universal,
que participe en el amor divino
 comandado por nuestro hermano mayor

 

carlissaEJB.jpg

Laura Ximena, J Berolo.  Xtna, Joao, CarlisaCarlisa J. M. Schmidt Consuelo Sánhez Massini

Guayaquil  Ecuador 3 de Dic. 2015 1er. Congreso Semillas de Juventud Siglo XXI 

 

 

 


IXº CONCURSO POESIARTE DE POESIA
Classificada em 6º Lugar no concurso

Quilombos

Chora Quilombos!
Seus jovens filhos morrem
de doença e de fome.
O descaso dos políticos
incapazes de dividir o pão.
Abandonados na servidão,
sem lar, sem sustentação.
 
Chora Quilombos!
Seus filhos tentam fugir,
do terror que vivem
na sua terra querida.
Entregue as guerras e a consumição.
 
Chora Quilombos!
Seus filhos morrem
sem ao menos saber a razão.
No ventre esquelético de suas mães.
Mães guerreiras tentam a salvação,
mas seus esforços são em vão.

 

Chora Quilombos!
Grita ao mundo!
Seu irmão está morrendo,
nas mãos da fome,
das doenças,
das discriminações,
das ganâncias do branco.

 

Chora Quilombos!
Toca seus tambores
para todos se unirem,
e lutarem em um só grito:
não ao racismo,
não à fome,
não à doenças,
não à desumanidade.

 

Chora Quilombos!
Somos filhos do mesmo Pai.
Somos irmãos de sangue.
Somos uma só nação.
Somos sobreviventes do mundo.
 
 
Chora Quilombos!
Poetiza ao mundo!
A ganância é a destruição.
O ser humano em extinção.
O amor na revolução.
Chora Quilombos!
Chora para resgatar seus irmãos.

 

 

HORROR.jpg.w300h198.jpg

Muerte de un ruiseñor: AYLAN KURDI Era un niño más que intentaba alcanzar la isla griega de Kos. Su familia pagó cerca de mil dólares a los traficantes por cada una de las plazas del bote que salió hace días desde la costa turca, en Alihoca, cerca de Bodrum. Eran seis, pero el mar se cobró la vida de cuatro. Tres de ellos eran niños.Ninguno llevaba chaleco salvavidas. No sabían nadar. La ruta Bodrum-Kos es corta, de unos 24 kilómetros, pero peligrosa. El mar los engulló de un trago y los escupió sobre la arena de Kos, donde un guardia costero recogió sus cuerpos con cuidado, intentando no dañar a quienes siempre son más vulnerables. 

fantasia2.jpg

¡Como llueve, Amor! ¡Como llueve! Cómo es de hermoso ver caer la lluvia mientras resbalan las sedas de la entrega- llenos de espasmos infinitos... asediados por el profundo deseo de querer, se abren las ventanas de todas nuestras venas para ver llover desde nuestra única e íntima confianza. Joseph Berolo

Soledad

 

Inspirada en COMO LLUEVE AMOR !COMO LLUEVE!

 


Triste, triste día este..
Llega la noche y ni ella me ayuda...
Noche sin estrellas.
La lluvia está cayendo,
 sólo veo oscuridad.
gotas fuertes superpone
llorando la noche.
Los ríos se llenan.
La gente pasa 
sin decir nada.
Comienzo a caminar.
Las calles desiertas 
El agua baña mi cuerpo
mientras camino.
los relámpagos me asustan.
Siento ganas de gritar
gritar bajo La lluvia,
entre la  oscurida.
¡Quiero alejar el miedo! 
No sentir la soledad.